GESP Gestão Estratégica da Procuradoria Geral do Estado




A Gestão Estratégica da PGE - GESP tem como objetivo geral implantar um modelo de gestão integrado, através da definição de ações nas áreas de gestão estratégica e inovação organizacional, fomentando a inovação e gerenciando a implementação das diretrizes estratégicas, com intuito de melhorar os serviços prestados pela PGE.

Dada a importância das ações da GESP, no âmbito da implementação, do desdobramento e gestão do planejamento estratégico, bem como das atividades relacionadas ao gerenciamento de projetos, à otimização de processos de trabalho, ao acompanhamento de dados estatísticos, da gestão de pessoas e do conhecimento, torna-se fundamental a divulgação ampla das informações decorrentes e necessárias para assegurar o alinhamento de todas as unidades quanto a estratégia da organização e a disseminação das melhores práticas e inovações organizacionais no que tange à gestão.

A coordenação das ações da GESP é uma atribuição do Procurador Geral Adjunto da PGE.

A Portaria PGE 020/2016 normatiza a criação da GESP e das unidades de apoio a gestão.





PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO


Em 2011, a Procuradoria Geral do Estado realizou seu primeiro Planejamento Estratégico, com ampla participação de todo corpo funcional, tendo como meta a adoção de um modelo de gestão estratégica inovador e com o foco em resultados.

Em 2016, a PGE iniciou a revisão do Plano Estratégico visando implementar as estratégias definidas na etapa anterior. O Plano Estratégico PGE 2017-2021 contém o mapa estratégico, objetivos, indicadores, metas e iniciativas que passarão a ser monitoradas pelo Comitê de Gestão Estratégica. A metodologia utilizada baseia-se no Balanced Scorecard – BSC, ferramenta que se adequa à necessidade de tradução da estratégia de forma simples, objetiva e mensurável.

Dentre os objetivos específicos pretendidos com o desdobramento, destacam-se o de motivar todos a pensarem estrategicamente, alinharem-se à estratégia, sentirem-se envolvidos com as ações e engajarem-se de maneira participativa e corresponsável.




MISSÃO:

Exercer a advocacia pública, atuando ativamente na construção e efetivação das políticas de Estado, com vistas à promoção da justiça e harmonia social.

VISÃO:

Ser referência de excelência na busca de soluções jurídicas inovadoras e eficientes.

VALORES:


  • INTEGRAÇÃO E COOPERAÇÃO - Retrata a necessidade de integração e cooperação a fim de quebrar o isolamento entre os setores e entre as pessoas. Nada mais atual e moderno do que estar em simbiose, respeitando as diferenças, mas que conjuntamente possam ser um corpo único com ganhos recíprocos.


  • ÉTICA - No serviço público, esse fenômeno se apresenta com maior relevância, estando grande parte das pessoas conscientes da necessidade de consolidar práticas de gestão e comportamentos focados em princípios éticos.

    O que se busca é estimular a observância dos valores definidos pela instituição, tais como integridade, responsabilidade, honestidade, confiança, respeito e transparência.

    É preciso robustecer mecanismos de controle e aprimorar os processos internos de forma a orientar, disciplinar e instigar a necessidade do comprometimento de todos com os padrões de conduta éticos e morais.


  • COMPROMETIMENTO - Buscar resultados e soluções engajadas com os objetivos e metas da organização.


  • LEALDADE - É fundamental para a construção de uma relação da Procuradoria com a Sociedade, servindo como ferramenta para a efetivação da transparência, moralidade e boa-fé objetiva.


  • PROATIVIDADE - Traduz-se no comportamento que ganha em eficiência e qualidade, na medida em que o agente proativo busca acompanhar as ações que poderão desencadear demandas jurídicas e em virtude deste acompanhamento consegue delinear os possíveis problemas, antecipando ações e medidas necessárias a que se obtenha o resultado pretendido, com o mínimo possível de percalços.





O acompanhamento da estratégia é um processo dinâmico e incremental de avaliação institucional. A PGE tem direcionado esforços para fomentar a cultura de planejamento e monitoramento de seus resultados, de forma que seja possível a visualização e a identificação de indicadores que permitam um acompanhamento mais efetivo dos níveis estratégico e tático da organização.

O Escritório de Acompanhamento da Estratégia é a unidade responsável pela implantação das rotinas e métodos de trabalho que consolidem os processos de monitoramento e avaliação dos indicadores e iniciativas do Plano Estratégico.

Cabe destacar que a PGE instituiu uma Metodologia de Gestão Estratégica com a finalidade de servir de guia para os processos de gestão relacionados com a implementação do Plano Estratégico Institucional e a sua comunicação.

Compete ao Escritório de Acompanhamento da Estratégia

  • Fomentar e disseminar a cultura da gestão estratégica;

  • Propor metodologia para gestão integrada de Estratégia, Programa e Projetos;

  • Apoiar a gestão no processo de elaboração e atualização do plano estratégico;

  • Atuar nos processos de implementação, monitoramento e avaliação do plano estratégico;

  • Atuar processo de definição e monitoramento dos indicadores dos objetivos estratégicos;

  • Atuar no processo de definição e monitoramento do ambiente externo com a utilização de técnicas de inteligência estratégica;

  • Apoiar a alta administração nas reuniões de gestão estratégica;

  • Avaliar a adequação das propostas de projetos à estratégia organizacional;

  • Exercer outras atribuições correlatas à sua finalidade.



Contatos:
Débora Araújo (71) 3115-0554
Neube Bonfim (71) 3115-0555
E-mail: escritorio_estrategia@pge.ba.gov.br





Os Indicadores Estratégicos informam “quanto” a organização se encontra na direção da consecução de sua Visão, refletindo o desempenho em relação aos Fatores Críticos de Sucesso.

Para viabilizar o controle dos objetivos estratégicos do Planejamento Estratégico 2017-2021, foram definidos indicadores e metas que deverão mensurar o desenvolvimento da estratégia e para facilitar o monitoramento do desempenho a PGE, optou-se pelo modelo de intervalos de admissibilidade, denominados faróis de indicadores ou alerta.


O estabelecimento de uma meta para cada indicador é primordial para comunicar a todos os membros da organização a velocidade de implementação da estratégia e a amplitude do desafio a ser superado pela PGE no alcance da Visão de Futuro. Vale destacar que as metas representam um pacto com os gestores responsáveis de cada unidade da organização. Compete ao gestor assegurar a efetivação de ações necessárias para o correto monitoramento dos indicadores sob sua responsabilidade e responder pelo seu desempenho. Na hipótese de o indicador apresentar resultado inferior a 70% da meta estabelecida, o gestor responsável deverá apresentar as justificativas ao Procurador Geral.


O Painel de Contribuição é uma ferramenta que permite visualizar e identificar, de forma clara e direta, as iniciativas que as unidades buscarão desenvolver para o alcance dos objetivos estratégicos. A publicação dos painéis é uma forma de divulgar e disseminar as iniciativas desenvolvidas e incentivar os membros da PGE a efetivamente construir e participar do Planejamento Estratégico e gerenciar suas contribuições para a estratégia da organização.

Para exemplificar como funciona um Painel de Contribuição, segue o modelo abaixo:









PROJETOS


É importante compreender que gerenciar projetos traz benefícios vitais para a instituição. As técnicas de gerenciamento permitem à organização:

  • Alinhar projetos às estratégias organizacionais;
  • Medir o alcance de resultados;
  • Melhorar o desempenho dos projetos, por meio da utilização de melhores práticas;
  • Estabelecer padrões metodológicos para toda organização;
  • Reduzir o nível de incerteza e riscos nos projetos;
  • Melhorar a comunicação interna e o compartilhamento de conhecimento

O Escritório de Projetos é a unidade organizacional que centraliza e coordena o gerenciamento de projetos sob seu domínio, tendo como função primordial o assessoramento e monitoramento da elaboração, execução e controle de todos os projetos estratégicos da organização, uma vez que os projetos são instrumentos para o alcance de objetivos e metas institucionais. No âmbito de projetos, compete ao Escritório de Projetos:

  • Assessorar a alta administração em relação aos projetos estratégicos;
  • Prestar apoio e assessoramento técnico aos Gerentes de Projetos e equipes de projetos;
  • Promover a gestão de projetos, disseminando a metodologia, melhores práticas, padrões de gerenciamento de projetos e ferramentas;
  • Monitorar e consolidar informações sobre o desempenho dos projetos estratégicos;
  • Prover informações à alta administração;
  • Aumentar a satisfação dos clientes por meio da melhoria da qualidade dos serviços entregues nos projetos.


Contatos:
Débora Araújo (71) 3115-0554
Fabiana Lima (71) 3115-0555
Lucimário Oliveira (71) 3115 -0555
E-mail: escritorio_projetos@pge.ba.gov.br



Os resultados de um projeto são incertos por natureza, tendo em vista que se referem a um produto ou serviço novo. Dessa forma, um aspecto crítico para o sucesso do projeto é o seu efetivo gerenciamento, através da adoção de uma metodologia que permita a aplicação de conhecimentos, habilidades e técnicas para iniciar, planejar, executar, controlar e encerrar as atividades que visam atingir as necessidades ou expectativas das partes envolvidas no projeto.

Considerando o foco do Escritório nos projetos estratégicos, cabe destacar que as iniciativas estratégicas serão tratadas através de uma Metodologia de Gerenciamento de Portfólio.

O Manual de Gerenciamento de Projetos da PGE, baseado nas práticas e conhecimentos do PMBoK (Project Management Body of Knowledge), objetiva prover a todos os Gerentes de Projetos, estratégicos ou não, ferramentas e técnicas de gerenciamento de projetos que possibilitem um maior profissionalismo e integração dos processos de trabalho, que facilitem a comunicação e a gestão de pessoas da equipe, que traga uma melhor definição e controle do trabalho a ser realizado, que auxilie na avaliação e na prevenção de riscos e que, em última instância, facilite o alcance dos objetivos propostos e a divulgação dos resultados finais.

Clique sobre a caixa correspondente à etapa, para entendimento ou detalhamento do processo de gestão.

Diagrama de Proposição de Projeto Diagrama de Iniciação Diagrama de Planejamento de Projeto Diagrama de Execução Diagrama de Encerramento Diagrama de Monitoramento dos Resultados Image Map

Manter um registro de todas as fases do projeto, de como cada item foi realizado, quais decisões foram tomadas, como e porquê, pode parecer preciosismo, mas a verdade é que a documentação em projetos é uma forma de proteger a equipe com relação a todo o desenvolvimento do trabalho, visando a manutenção de informações atualizadas para um melhor processo decisório sobre o futuro do projeto e permite a prestação de contas àqueles que demandaram o projeto.

Os formulários aqui disponibilizados têm como finalidade prestar suporte a algumas atividades e procedimentos do gerenciamento de projetos. É importante salientar que o Gerente do Projeto, junto com sua equipe e os demais envolvidos e interessados, discutam e reflitam sobre as questões que envolvem o projeto e, ao final dessa discussão, efetue o preenchimento do formulário a ser utilizado.

A lista abaixo apresenta uma breve descrição e possibilita o download de cada formulário:

Checklist de projeto
Documento que auxilia na verificação da documentação necessária ao projeto, antes de encaminhá-la para avaliação técnica. Não é necessário juntar ao processo.
Proposição do projeto
Documento a ser preenchido com informações preliminares do projeto em proposição, que será encaminhado para análise do Escritório de Projetos (alinhamento estratégico e metodológico) e para análise do Comitê de Projetos (alinhamento dos recursos necessários disponíveis - TI, orçamentário, pessoal, etc).
Termo de abertura
Documento a ser preenchido pelo Gerente de Projeto, após aprovação do Comitê de Projetos sobre a realização do projeto. Formaliza a equipe e o escopo da proposta do projeto.
Plano do projeto
Documento a ser preenchido pelo Gerente do Projeto e validado com a equipe que fornecerá serviços/produtos que afetam o projeto. Nessa etapa devem ser acordados a qualidade e prazos de entrega dos produtos e serviços do projeto.
Termo de aceite
Documento que formaliza a entrega e a conformidade dos produtos e serviços entregues no projeto, devendo ser todas as entregas geradas pela execução do projeto validadas e aceitas formalmente.
Solicitação de mudança
Documento que registra as solicitações de mudanças, em produtos, prazos ou escopo e seus impactos, bem como as alterações aprovadas e suas implicações para o planejamento do projeto.
Relatório de acompanhamento
Documento a ser preenchido pelo Gerente do Projeto, que descreve, com assertividade, o andamento do projeto.
Termo de encerramento
Documento que formaliza as entregas finais e o encerramento do projeto. Valida, com os envolvidos, se o escopo foi atingido e avalia sua qualidade.
Ata de Reunião
Documento a ser preenchido e que descreve a reunião e detalha os objetivos e demais informações.
Planilha de Custos
Documento que descreve a projeção orçamentária do projeto.
Matriz de Riscos
Documento a ser preenchido pelo Gerente do Projeto, considerando a probabilidade e o impacto como fatores para priorizar o tratamento dos riscos.
Registro das Partes Interessadas
Documento a ser preenchido com as informações das Partes Interessadas (stakeholders) do projeto, descrevendo todos os detalhes relativos às partes interessadas.
Registro das Lições Aprendidas
Documento a ser preenchido com as informações das lições aprendidas no decorrer de todo o projeto.

O Governo do Estado da Bahia percebeu a necessidade de uma solução especializada, de forma a suprir as carências apresentadas no âmbito da gestão e, em decorrência disso, adotou uma plataforma de gestão coorporativa a fim de promover o alinhamento das operações e projetos do Governo ao seu planejamento estratégico, proporcionando um ambiente completo e unificado, denominado Sistema de Gestão de Ações Prioritárias, Projetos, Programas e Portfólios – SG (Plataforma Channel), no âmbito da Administração Pública do Estado da Bahia.

A partir de 2016, a PGE passou a contar com o SG como solução tecnológica para gestão estratégica e de projetos. O SG é em ambiente web, não havendo necessidade de instalação para a sua utilização. Nele é possível o acompanhamento online das iniciativas de cada projeto, por meio dos indicadores, cronogramas e riscos assinalados. Todos os projetos, painéis de contribuição e mapas estratégicos serão monitorados na plataforma.

O software apresenta visões diferenciadas de acordo com o perfil do usuário: gestor, gerente, colaborador e cliente.

Perfis de usuários:

  • Gestor do Sistema: Perfil que tem a visão do todo, focado no acompanhamento do portfólio de projetos e operações. O perfil gestor pode criar projetos, programas e operações. Além disso, tem acesso às informações financeiras dos projetos. Tem acesso a todos os projetos do sistema, independente de gerentes. Junto com o perfil cliente, são os únicos que podem ser colocados como patrocinadores de projetos.
  • Gerente de Projeto: Perfil que tem a visão dos projetos que estão sob sua responsabilidade. Geralmente ocupado por Gerentes de Projeto. Junto com o perfil gestor, são os únicos perfis que podem criar projetos e programas.
  • Colaborador: Perfil que tem a visão de execução de atividades. Tem acesso somente a visão operacional e geralmente é formado pela equipe de projeto.
  • Cliente: Perfil que tem a visão de acompanhamento de projetos. O cliente, que pode ser interno ou externo, pode visualizar o progresso físico dos projetos nos quais está associado, além de participar das atividades dos mesmos, caso o gerente do projeto específico lhe associe a atividades de seu projeto. Além disso, o cliente pode visualizar documentos. Toda a visão do cliente é indicada pelo gerente de projetos, ou seja, o gerente de projeto explicita em cada item se o cliente terá ou não permissão de acesso.

Para acessar o sistema, cliquei aqui.





PROCESSOS


Devido à crescente complexidade e abrangência dos processos nas organizações e à frequência com que a modelagem, melhoria, implantação, integração e coordenação de processos têm acontecido, é cada vez maior a necessidade da organização se estruturar para gerenciar seus processos.

O Escritório de Processos tem como objetivo central a articulação das ações de gestão dos processos, tornando-as perenes na organização. Portanto, é responsável pela coordenação das demandas de processos (mapeamento de novos processos versus atualização dos já existentes), pela realização do detalhamento dos processos contemplando as melhorias discutidas entre as equipes envolvidas, pelo treinamento e pela divulgação dos processos modelados, pelo acompanhamento da execução dos processos e dos seus indicadores de desempenho e resultado.

A existência do Escritório de Processos traz os seguintes benefícios a PGE:

  • Planejamento
    O planejamento das ações de gerenciamento de processos tem como finalidade atingir os objetivos previstos no Plano Estratégico da PGE, aproximando-se da visão e missão da organização, garantindo um modelo de gestão voltado para a melhoria contínua do trabalho desenvolvido.

  • Melhoria Contínua
    O mapeamento e o redesenho de processos permitirá que cada área possa aperfeiçoar e rever seus processos de trabalho, alinhando-os, de maneira cada vez mais ágil, às exigências da Sociedade por meio da melhoria dos serviços prestados.

  • Força de Trabalho
    Com a padronização e o redesenho dos processos de trabalho, no médio prazo, a instituição utilizará menos servidores na execução das mesmas atividades, com melhor qualidade, mais agilidade e especialização no assunto.

  • Transparência
    Com o amadurecimento da gestão de processos em toda a PGE, os processos serão continuamente medidos e controlados, auxiliando a tomada de decisão com celeridade e a promoção da gestão do conhecimento na instituição. Com a medição de desempenho da eficiência e eficácia de cada processo de trabalho e a divulgação da forma de trabalho, a gestão se torna dinâmica e transparente perante a sociedade.


Contatos:
Débora Araújo (71) 3115-0554
Tânia Miranda (71) 3115-0555
Vito Magarão (71) 3115-0555
E-mail: escritorio_processos@pge.ba.gov.br




Um dos fatores críticos de sucesso para a adoção da Gestão por Processos está na utilização de uma metodologia organizacional padrão, que respeite as questões políticas e culturais da organização.

Uma metodologia padrão estabelece quais as atividades que a organização executará em cada etapa do ciclo de vida do processo, quem serão os profissionais envolvidos, quais os modelos de documentação, os produtos entregáveis e as tecnologias aplicadas para suportar estas atividades, garantindo uma prática comum de processos em toda a organização.

O Manual de Gestão de Processos da PGE, baseado nas práticas e conhecimentos do BPM CBoK (Business Process Management Common Body of Knowledge), objetiva ser um guia fomentador da gestão de processos no âmbito da PGE. Ao buscar esclarecer, especificar e detalhar a gestão de processos.

A metodologia prevê as seguintes etapas: planejamento; mapeamento do processo; redesenho do processo; padronização e definição de indicadores; implantação e monitoramento.


A primeira etapa da metodologia consiste em realizar o planejamento de como será feita a intervenção e o que se almeja com ela. O objetivo, normalmente, é melhorar o processo em algum aspecto (qualidade, tempo, assertividade, entre outros). Nesse sentido, planejar as ações que serão desenvolvidas é primordial para o pleno alcance dos resultados almejados.

Essa etapa visa entender o processo como ele realmente acontece no dia a dia da organização, através do levantamento de informações sobre o processo, permitindo compreender o funcionamento do processo e os recursos nele envolvidos (sistema, estrutura, pessoal) para, posteriormente, representar graficamente o seu modo de execução atual.

Essa fase também pode ser chamada como Análise e Melhoria de Processo, pois é nela que se realiza a análise crítica do processo visando resolver os problemas apontados, fazendo com que os inputs e outputs identificados sejam melhorados, maximizando a eficiência das atividades, incorporando novos valores e novas tecnologias, sempre que necessário, e ampliando a eficiência e a eficácia do processo.


Essa análise processo inclui:


  • Eliminar tarefas que não agreguem valor;
  • Substituir uma tarefa por outra mais adequada;
  • Mudar a sequência das tarefas;
  • Identificar ações para melhorar o processo.

É importante mencionar que o responsável pela implementação, o Gestor do Processo, deve participar da criação, discussão e priorização das melhorias identificadas.

Antes de se iniciar efetivamente a etapa de Implantação há ainda a necessidade de Padronização e Definição de Indicadores para o processo. Essa etapa visa criar procedimentos em que são necessários, padronizar e rever formulários e documentos envolvidos no processo, assim como padronizar algumas atividades consideradas críticas, de modo a facilitar o treinamento na etapa de Implantação.


Os procedimentos devem conter toda a sistemática de trabalho estabelecida, de forma que possibilite aos usuários a compreensão acerca do que deve ser feito e de como fazê-lo.


Busca-se, também, estabelecer (ou rever) alguns indicadores que possam medir o desempenho e resultados gerados pelo processo nos pontos mais críticos, a fim de sinalizar eventuais problemas em seu andamento e verificar se as melhorias introduzidas estão de fato gerando os resultados esperados.

“Não haverá ganho se as ações propostas não forem colocadas em prática. ”


É necessário implantar o novo processo de trabalho, com as melhorias propostas e acompanhar para averiguar se a nova forma de realizar o trabalho é seguida e se a melhoria esperada realmente aconteceu.


Além disso, é necessário monitorar os resultados a fim de identificar a conformidade do que foi implementado, se as metas estabelecidas foram atingidas e a eficiência do processo foi maximizada.


Essa etapa tem como principais objetivos: padronizar e implementar a melhoria contínua; monitorar a performance, riscos e conformidade; comunicar e disseminar informações da gestão de processos; e aprender sobre a execução dos processos (educar e treinar em gestão por processos).


A melhoria contínua é um ciclo, depois de concluídas todas essas etapas novas oportunidades de melhorias serão encontradas e o processo de trabalho do Escritório de Processos será revisto, para melhorar seus métodos e aperfeiçoar a gestão por processos.






A notação pode ser definida como uma escrita simplificada ou abreviada por meio de um conjunto de sinais convencionados. A notação utilizada pela PGE é a Business Process Modeling Notation (BPMN) notação gráfica, padronizada internacionalmente, de modelagem de processos que representa processos de trabalho por meio de fluxogramas.

Além de facilitar o entendimento, o BPMN diminui a lacuna entre o mapeamento do processo e sua implementação por meio de programas específicos de TI que facilitam a sua prática, promovendo uma melhor visualização das atividades do processo.

A ferramenta utilizada pela PGE para a modelagem de processos de trabalho é o software Bizagi (Bizagi Process Modeler®), ferramenta gratuita, que simplifica e agiliza a modelagem de processos.

Uma simbologia específica é utilizada para representar a sequência de atividades de um fluxograma. Podemos agrupar esses elementos básicos em quatro categorias: objetos de fluxo, objetos de conexão, raias e artefatos. A tabela abaixo, lista alguns tipos mais comuns.




Os macroprocessos correspondem aos grandes conjuntos de processos de trabalho pelos quais a instituição cumpre a sua missão e cuja operação tem impactos significativos na forma de funcionamento do órgão, são os processos mais finalísticos e todos os outros decorrem deles. Devem estar alinhadas aos objetivos de suas unidades organizacionais.

Os processos compreendem um conjunto ordenado de atividades de trabalho, no tempo e no espaço, com início, fim, entradas e saídas bem definidas. Têm como objetivo gerar resultados para a organização e podem estar em diferentes níveis de detalhamento, sendo comumente relacionados às áreas gerenciais, finalísticas e de apoio.

A figura abaixo representa a Cadeia de Valor com os macroprocessos de negócio e suas respectivas categorias no âmbito dessa procuradoria.





Os processos mapeados e melhorados devem estar documentados, por meio de manuais de normas e procedimentos, para orientar os servidores que trabalharão no processo de trabalho.

A publicação dos manuais é importante para dar prosseguimento aos trabalhos dos Escritórios de Processos, pois possibilitará a disseminação do conhecimento, a comunicação e aperfeiçoando os trabalhos. Os procedimentos devem conter toda a sistemática de trabalho estabelecida, de forma que possibilite aos usuários a compreensão sobre o que deve ser feito e como fazê-lo.

Os processos documentados pelo Escritório de Processos, por meio de manuais de normas e procedimentos, terão suas versões publicadas no sítio da Modernização da PGE e serão de observância obrigatória pelas unidades envolvidas.








COMUNICAÇÃO


A comunicação é essencial para a eficácia das atividades em uma organização. A eficiência na sua realização pelos atores envolvidos no processo de mudança ditará o quanto de resultados positivos poderão ser alcançados pela instituição.

Comunicar é um processo de troca e de compartilhamento. Deve-se criar ações para fortalecer a imagem institucional, as responsabilidades, as regras, os processos, os serviços, produtos e resultados, as diretrizes, metas e objetivos. Comunicar é também ouvir, entender e perceber as pessoas. É estabelecer com os diversos públicos um canal permanente de diálogo, pelo qual, a informação possa fluir nos dois sentidos, ora como receptor, ora como emissor.

Um dos fatores críticos para a execução do Plano estratégico é ter um sistema de comunicação que assegure a transparência das ações, a uniformidade de orientação, a interação das unidades de serviços e a cooperação entre a PGE e os demais órgãos ou entidades públicas.

O Plano de Comunicação Institucional da PGE para o quinquênio de 2016-2020 tem como propósito estabelecer as diretrizes e estratégias de comunicação para que a Instituição alcance os objetivos institucionais e as metas associadas ao Planejamento Estratégico e será executado através da atuação da Assessoria de Comunicação Social – ASCOM.







PUBLICAÇÕES

Escolha a publicação

Publicação Data Sinopse Ação
Plano Estratégico PGE 2012-2023 Novembro/2012 Edição Inaugural do Plano Estratégico da PGE 2012-2023. Visualizar
Em Foco - Informativo GESP/PGE Dezembro/2015 Informativo destinado a divulgar as ações da Procuradoria Geral do Estado no âmbito da Gestão Estratégica Visualizar
Portaria PGE nº 20/2016 Fevereiro/2016 Instituição da Gestão Estratégica da Procuradoria Geral do Estado - GESP e estabelece as atribuições das unidades de apoio à gestão organizacional. Visualizar
Metodologia de Gestão Estratégica Agosto/2016 Definição dos padrões de referência, metodologias de apoio e orientações específicas que serão utilizados como referência para a PGE. Visualizar
Metodologia de Gerenciamento de Portfólio Agosto/2016 Processo de Seleção, Priorização e Gestão de Portfólio (identificação, análise, classificação e mensuração dos resultados dos programas, projetos e iniciativas da PGE). Visualizar
Portaria PGE nº 182/2016 Novembro/2016 Criação do Grupo de Trabalho de Revisão do Plano Estratégico. Visualizar
Relatório da Pesquisa Estratégica Novembro/2016 Tabulação da Pesquisa Estratégica realizada com o corpo funcional PGE (Interna) e com Órgãos e Entidades que se relacionam com a PGE (Externa). Visualizar
Portaria PGE nº 37/2017 Março/2017 Alteração da Portaria 182/2016. Visualizar
Plano Estratégico PGE 2017-2021 Abril/2017 Plano Estratégico Institucional da PGE 2017-2021 / Revisão 1 Visualizar
Metodologia de Gerenciamento de Projetos Julho/2017 Edição revisada da Metodologia de Gerenciamento de Projetos da PGE. Visualizar
Metodologia de Gestão de Processos Julho/2017 Edição revisada da Metodologia de Gestão de Processos da PGE. Visualizar
Conteúdo do hot site da revisão do Plano Estratégico Julho/2017 Compilação do conteúdo do Hot Site de revisão do Plano Estratégico da PGE. Visualizar
Portaria PGE nº 114/2017 Julho/2017 Criação do Comitê de Gestão Estratégica Visualizar
Portaria PGE nº 115/2017 Julho/2017 Aprovação do Plano Estratégico Institucional da Procuradoria Geral do Estado da Bahia 2017-2021. Visualizar